14 livros lidos em 2021 - Denise


A imagem que ilustra o artigo sobre os livros lidos em 2021 tem vários itens fofos. O fundo á basicamente em tons calor. Há um livro aberto à esquerda. Acima dele, em desfoque, algumas orquídeas. Ao lado direito há uma xícara de café com leite e um donut sobre um, pratinho quadrado. Sua cobertura é branca com pequenas listras brancas.

Eu tive um número de livros lidos em 2021 razoável em relação aos anteriores. Consegui ler bons livros, e estou aqui para compartilhar com vocês minhas impressões sobre o que andei lendo por aqui.


Eu sempre fui uma leitora voraz. No sentido literal da palavra. Lembro de ser rata de biblioteca e ter acabado com os livros disponíveis do colégio em que estudei no Ensino Médio – em 3 anos.

O meu ritmo de leitura sempre foi intenso. No entanto, como grande parte das pessoas, o adentrar ao mundo do trabalho reduziu drasticamente meu volume de leituras. E esse volume ficou ainda mais mirrado nos últimos anos, conforme minha energia mental estava sendo comprometida.

No entanto, no ano passado eu decidi mudar de profissão, e consegui melhorar bastante nesse quesito. Portanto, posso dizer que estou bem feliz com o que consegui no ano passado.

Livros lidos em 2021 x celular

Não sei como acontece com vocês, mas uma coisa que impacta negativamente meu ritmo de leitura é o uso do celular. Eu sinto que em épocas em que eu fico muito tempo rolando a timeline do Twitter, Instagram e TikTok, a preguiça de ler se torna imensa!

Então, como nesse ano eu dei uma diminuída no uso do celular, consegui me concentrar mais em ler. Eu sinto como se aquele monte de informações rápidas vindas da telinha fosse mais interessante que uma leitura. E, bem, é assim mesmo que o nosso cérebro funciona, nós sabemos muito bem disso.

Dessa forma, quando eu quero ler mais, eu defino um horário para parar de mexer no celular. Eu já me permiti fazer leituras num ritmo mais, digamos, “freestyle”. No entanto, eu venho de um longo período usando a internet como fonte de distração rápida dos problemas, meio que um vício mesmo. Por isso, eu ainda preciso estabelecer alguns limites, como horários, por exemplo.

Livros lidos em 2021 – A lista

Bom, vamos ao que importa: a tal listinha de livros lidos em 2021. Vou usar meus registros do Goodreads como base para lembrar que livros andei lendo. Definitivamente, não posso contar apenas com a minha memória, rs.

A propósito, inseri os links diretamente para os livros na Amazon – que é a plataforma por onde mais compro, graças ao Prime. É importante frisar que são links afiliados, ou seja: se você decidir comprar um deles através desse link, o blog recebe uma pequena comissão. Sem mais delongas, vamos à lista!




1. A revolução dos bichos, George Orwell

Eu estava muito, mas muito curiosa para ler "A Revolução dos bichos", do Orwell, há muito tempo. Primeiramente, pela fama de ser muito bom. Segundo, porque eu estava numa fase em que fazia sentido lê-lo. E não me decepcionei.

Sem dar spoiler, o livro é o retrato da nossa sociedade. Uma fábula sobre o poder e sobre como seguimos pessoas cegamente sem questionar o óbvio – basta que sejam convincentes. É impressionante ver a dinâmica da fazenda retratada na obra, e ver como esta história se transpõe para nossa realidade de forma quase assustadora. A leitura da sociedade que Orwell faz não poderia ser mais didática e correta para os dias atuais.

Além do mais, o livro tem uma linguagem simples, é interessante, tem um enredo que prende bastante e, portanto, um sucesso pra mim. Amei!

2. Cem – O que aprendemos na vida, Heike Faller (traduzido por Julia Bussius)

Esse livro é leitura para uma sentada, digamos assim. Tem a maior carinha de livro infantil, mas ele traz, em sua simplicidade, reflexões profundas.

Com belas ilustrações, o livro Cem faz uma jornada pelo tempo e as muitas primeiras vezes da nossa vida. É possível ver como o tempo muda nossas prioridades e a importância das coisas para nós.

O tipo de livro para se ter na estante e, vez em quando, dar aquela espiada.

Importante: o preço dele na plataforma está absurdo. Se você quer mesmo, coloque ele na sua lista de desejos e fique atento a preços mais baixos.

3. Eu achava que isso só acontecia comigo, Brené Brown (traduzido por Livia Almeida)

O livro “Eu achava que isso só acontecia comigo: como combater a cultura da vergonha e recuperar o poder e a coragem”, da Brené Brown, foi um dos livros mais importantes para mim nesse ano.

Ele me trouxe inúmeras reflexões importantes. Além disso, me senti acolhida com muitas das situações replicadas no livro. Na verdade, acho difícil uma pessoa ler esse livro e não se identificar com algo.

O livro da Brené Brown traz reflexões importantes sobre como deixamos de fazer coisas por pura e simples vergonha. Principalmente vergonha da opinião e reação dos outros. Mas ele não traz apenas exemplos que nos ajudam a identificar essas atitudes. Ele traz alguns caminhos e exercícios para fugirmos dessa cultura da vergonha.

Além disso, traz ensinamentos que nos ajudam a validar nossos sentimentos. Se eu gostei? Comprei todos os outros livros disponíveis dela. Isso te diz alguma coisa? 😂




4. O Duque e eu, Julia Quinn (traduzido por Cássia Zanon)

A mulher que não foi arrebatada pelo Duque de Hastings, no seriado Bridgerton, não assistiu ele do jeito certo. Brincadeiras à parte, eu confesso que sim, li “O Duque e eu” fortemente influenciada pelo seriado.

Mesmo sabendo que sim, as adaptações para a televisão sempre decepcionam, ao final da leitura achei que foi bem ok. É um livro simples e fácil de ler, assim como todo romance é. O tipo de leitura de puro entretenimento.

Gostei bastante. Quero ler o restante da série, no entanto não tenho uma data, pois tenho várias outras leituras que quero fazer primeiro.

5. E foi assim que eu e a escuridão ficamos amigas, Emicida

Eu sou pedagoga, fui professora por mais de uma década. Isso significa que livro infantil para mim é leitura sim! E eu gosto bastante deles, inclusive!

O livro “E foi assim que eu e a escuridão ficamos amigas”, do Emicida me chamou atenção por ser dele, simples assim. Não que eu seja fã ou algo do tipo, na verdade conheço muito pouco do trabalho dele, só a fama mesmo.

No entanto, eu sempre fico curiosa quando pessoas de um ramo se aventuram na literatura infantil. E o livro é uma grata surpresa. Com ilustrações bonitinhas, ele traz uma história que certamente acolhe crianças que tenham medo do escuro.

O mais legal é tudo ser feito com rimas, o que eu amo. A poesia, seja mais rebuscada, seja apenas o rimar de versos, sempre me ganha. E a dele é bem legal.

6. Inteligência espiritual – a nova dimensão para a vida plena, Maria do Carmo Rabello

Esse é um livro religioso, antes de mais nada. Eu tenho uma religiosidade muito forte, e este tipo de leitura me agrada muito.

O livro “Inteligência Espiritual” da Maria do Carmo Rabello, foi um dos meus livros favoritos do ano. Ele traz diversas reflexões sobre a religiosidade que é intrínseca ao ser humano.

Além do mais, gostei demais de ele desmistificar a meditação – que é vista ainda com maus olhos por diversos religiosos. Eu já meditava, mas ampliei o hábito com as dicas desse livro.



7. Meus 15 anos, Luly Trigo

A Luly é uma pessoa incrível, disso não há dúvidas. Participei de muitas lives da Twitch em 2020 com ela. Tenho aqui um caderninho feito, enviado e assinado por ela. Então, ela é mais que uma simples escritora para mim – é alguém próximo.

Eu conhecia alguns trabalhos dela, mas jamais tinha ligado o nome à pessoa. No entanto, conhecê-la tão de pertinho me fez querer conhecer ainda mais o trabalho dela.

O livro “Meus 15 anos” – que virou filme com a Larissa Manoela - é aquilo que ele se propõe a ser: um delicioso livro destinado à adolescentes, cheias de sonhos e pequenos romances. Eu me vi em muitas situações, foi quase um voltar no tempo. Muito gostosinho e juvenil!

8. O melhor de mim, Nicholas Sparks

O Nicholas Sparks nunca decepciona. Não existe como ler um livro dele e não sair inspirada – romanticamente falando. Também não tem como ler sem dar uma choradinha básica.

Eu o escolhi porque estava decidida a ler alguns livros que se tornaram filmes, e depois assistir os filmes. E esse foi um deles – não que eu tenha levado o “projeto” super a sério, rs.

No entanto, a leitura de “O melhor de mim” é tudo o que se espera de um livro assim: envolvente, fácil, gostosa e, quando você vê, já leu por 3 horas e nem percebeu.

O filme é bom, mas sempre ficamos questionando as adaptações, não é mesmo? Não tem como. De se debulhar de lágrimas no final, lógico.

9. Caminho a Cristo, Ellen White

Mais um livro religioso – eu disse que gostava, rs. O livro “Caminho a Cristo” traz aquele Cristo amoroso, sempre pronto a nos dar a mão em meio às necessidades.

É um livro alentador de se ler, que mostra o quanto somos amados – e também o quanto podemos e devemos fazer para honrar esse amor.

É uma leitura fácil para quem está habituado a leituras religiosas, com muitas menções à Bíblia. Gostoso de tudo!



10. Poemas do Isolamento, Eduardo Leite

Conheci o Edu através da Dani – a outra face por trás deste blog. Acompanhei muitas lives na Twitch com ele. E então comprei “Poemas do Isolamento” e olha, que delícia!

A poesia do Edu é fácil de ler, e muito gostosa. Da mesma forma, tem profundidade. Amei esse livro e é o tipo que dá pra usar as frases em diversas situações.

Além disso, ele está por um preço irrisório, que não paga o tanto que ele é. Se eu fosse você já levava pra casa (e-book).

11. Vida em Abundância, José Luiz Possato Jr

O José Luiz é esposo da Babi, amiga de anos e anos de internet. Conhecendo ambos e sabendo do tanto de cultura que os dois têm, quando a Babi falou que o Zé tinha lançado um livro, não pensei duas vezes e comprei.

E não me arrependi. O livro “Vida em abundância” conta a história de um ex-seminarista que é morto (não é spoiler, porque o livro praticamente começa assim), porém sua alma não descansa até descobrir o que aconteceu.

Nesse meio tempo, ele reencontra pessoas do seu passado, conhece outras, e repensa sobre tudo o que fez – e poderia ter feito – na sua vida.

É uma leitura fácil, gostosa, com um enredo bem costurado. Gostei pra caramba! Ah,fiz resenha completa dele no meu blog pessoal.

12. Ponto Com, Julianna Costa

O livro da Julianna é um romance. Um romance super hot, diga-se de passagem 🔥. Fui surpreendida por esse aspecto, confesso! No entanto, regra geral, é um romance bem interessante.

Primeiro porque a protagonista de Ponto Com foge do padrão – uma gordinha. Segundo porque é envolvente, você quer muito saber no que aquilo vai dar. É o tipo de livro que você vai lendo, vai lendo, vai lendo e horas se passaram.

Além disso, a diferença de idade dos protagonistas também foge do habitual – a mulher é a mais velha. Enfim, alguns padrões quebrados, gostei bastante.



13. Observações sobre um planeta nervoso, Matt Haig

Ah, meu eleito melhor livro do ano, sem dúvida. Leitura fácil, mas que faz pensar bastante.

O livro “Observações sobre um planeta nervoso” parece ter sido feito para mim, uma pessoa que sofre com ansiedade e depressão (em tratamento e zero bala, mas sempre alerta!). Fiz uma resenha completa sobre o livro aqui no blog, dá uma olhada!

14. A pequena livraria dos sonhos, Jenny Colgan

O livro “A pequena livraria dos sonhos” é uma leitura deliciosa. Um romance gostoso, improvável e com uma reviravolta que ao menos eu não imaginava, rs.

E eu amei! É o tipo de livro para distrair a cabeça, relaxar e ficar feliz.

Minha conclusão sobre os livros lidos em 2021

Como vocês puderam conferir, sou bem eclética, não é mesmo? Hahahaha! Eu amo ler de tudo um pouco mesmo. 

Registrei aqui 14 livros. No entanto, eu li no total 23 ou 24. Acontece que muitos eu não registrei. E, como eram e-books, acabei esquecendo quais eram e enfim, perdi. Se eu lembrar ou achar algum registro, faço um update aqui, ok?

Se você tiver alguma indicação de livro para eu ler em 2022, manda aí! Eu não costumo fazer listas de livros para ler, como a Dani faz, por exemplo. Por isso, aceito sua sugestão para minha lista freestyle, rs.

Um beijo!






0 pessoinhas estiveram aqui